PT | 
 
Notícias
MCEL DISPONIBILIZA LINHA DEDICA PARA REDUZIR SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA
02-09-2017  18:44

O País registou uma redução de 27 por cento no número de acidentes de viação e no de óbitos no primeiro semestre deste ano, período em que perderam a vida 515 pessoas vítimas da sinistralidade rodoviária.


Apesar destes números, as autoridades ainda continuam preocupadas uma vez que continua muito elevado o número de óbitos em consequência dos acidentes de viação, que também resultam em danos materiais avultados.


Como forma de contribuir para a redução da sinistralidade rodoviária e mitigação dos seus efeitos, foi lançada na quinta-feira, 31 de Agosto, uma plataforma de comunicação para participação de acidentes de viação, denúncias, assistência às vítimas e pedido de socorro e apoio.
A plataforma, que pode ser acedida através do número 823737, resulta de um memorando de entendimento assinado entre a operadora de telefonia móvel mcel-Moçambique Celular e a Associação Moçambicana para as Vítimas de Insegurança Rodoviária (AMVIRO), visando a implementação de acções conjuntas para reforçar a estratégia de educação cívica sobre a prevenção e segurança rodoviária.


À luz deste memorando, para além da plataforma, a mcel vai disponibilizar à AMVIRO toda a sua cadeia de comunicação para a educação cívica sobre prevenção e segurança no trânsito e mitigação dos efeitos dos acidentes de viação.


Conforme explicou o presidente do Conselho de Administração da empresa TDM-mcel, Mahomed Rafique Jusob, a plataforma é composta por 15 linhas operacionais para facilitar a comunicação entre as delegações provinciais da AMVIRO ao nível do País e permitir que todas as situações de sinistralidade sejam comunicadas e respondidas no mais curto espaço de tempo.


“Queremos ser parte integrante deste processo de crescimento e desenvolvimento do País, daí o nosso empenho em continuar a apostar em iniciativas que beneficiam as comunidades, garantindo, desse modo, a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, disse Mahomed Rafique Jusob.


Para o presidente do Conselho Directivo da AMVIRO, Alexandre Nhampossa, a plataforma vai reforçar as acções que têm sido levadas a cabo pela organização na prevenção dos acidentes de viação e mitigação dos seus efeitos.


“A plataforma vem responder aos desafios que se impõem no contexto da segurança rodoviária e mitigação dos seus efeitos, nomeadamente a fluidez e universalização da comunicação”, considerou Alexandre Nhampossa.


Por seu turno, o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, referiu que a assinatura deste memorando representa um passo importante para a assistência às vítimas da sinistralidade rodoviária na medida em que a sociedade passa a contar com mais uma plataforma de comunicação e advocacia que vai encaminhar as suas preocupações às entidades competentes.


Para Carlos Mesquita, a plataforma não deve ser usada só para matérias de assistência às vítimas, mas também para permitir a participação dos cidadãos no processo de fiscalização, encaminhamento de denúncias e outras irregularidades na via pública.


“A solução do problema da sinistralidade rodoviária não deve ser vista como uma responsabilidade somente das instituições do Estado ligadas ao sector. Toda a sociedade deve mobilizar-se para dar o seu contributo”, apelou o ministro.

Clique para listar as tarefas